Condeixa acolhe plataforma de ligação entre as PME e o mercado chinês

Foto DB-Pedro Ramos

O apoio sentido “desde a primeira hora” pesou na escolha de Condeixa-a-Nova para sede da Câmara de Comércio Portugal-China, PME (CCPC-PME). Mas também pesou o facto de estar fora dos grandes centros urbanos e perto da principal autoestrada do país.
Com a criação da CCPC-PME – cujos corpos sociais tomaram posse ontem numa cerimónia que decorreu no PO.RO.S Museu Portugal Romano em Sicó –, as pequenas e médias empresas (PME) portuguesas que pretendam exportar para a China passam a dispor de “um parceiro privilegiado” em território chinês, anunciou Y Ping Chow, presidente do conselho executivo da estrutura.
“Neste momento, estamos a tentar criar um fundo de investimento para o turismo e para o setor agroalimentar, para criar uma plataforma de venda na China. Já temos seis ou sete representações de cada província e podemos aumentar muito mais”, anunciou o também presidente da Liga dos Chineses em Portugal. Aliás, em maio, quando foi a CCPC-PME foi constituída, Y Ping Chow tinha anunciado que a CCPC-PME estava já a trabalhar na criação de fundo de investimento para os dois setores, com um valor inicial de 10 milhões de euros, mas que poderia chegar aos 30 milhões de euros. A sua criação está, no entanto, dependente da autorização do Banco de Portugal, mas, “se tudo correr dentro do previsto”, o fundo estará constituído até ao final do ano.

 

Notícia completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS de 11/06/2020

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.