Antiga funcionária da Segurança Social condenada a nove anos de cadeia

A mulher que burlou a Segurança Social através da criação de centenas de perfis fictícios para abono pré-Natal foi ontem condenada pelo Tribunal da Relação de Coimbra a nove anos de prisão.
A esta pena efetiva junta-se o pagamento de 631.257,50 euros de indemnização à Segurança Social, aproximadamente o valor de que se apoderou em apoios.
A antiga funcionária desta instituição foi condenada por cinco crimes: acesso ilegítimo (três anos de prisão), falsidade informática (três anos), burla informática (quatro anos), peculato (seis anos) e branqueamento de capitais (três anos). No cumulativo jurídico corresponde a nove anos de prisão.
O juiz comentou que “a pena é para ser justa e adequada à situação”, e esta “é de facto muito grave”.
Na decisão, pesou a duração do período no qual os crimes foram cometidos (entre maio de 2014 e finais de 2018) e a intensidade do dolo, dado que se apropriou de cerca de 631 mil euros.
O tribunal não considerou que houvesse arrependimento por parte da mulher, apesar da confissão integral e sem reservas e do choro apresentado na primeira sessão do julgamento. “Não houve qualquer manifestação efetiva de tentar reparar”, explicou o juiz. Para além disso, acrescentou que a confissão não pesa de modo particular porque a acusação feita se baseia em prova documental.

 

Toda a informação na edição impressa e digital de hoje, 24 de junho, do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.