Pinturas do Novo Banco ficam expostas na Lousã

DB-Carlos Jorge Monteiro

Dois desenhos e uma pintura de Graça Morais, uma pintura de Noronha da Costa e uma pintura de Manuel Amado. É este o espólio que chegou, ontem, ao Museu Municipal Prof. Álvaro Viana de Lemos.

O acervo, que integra a coleção do Novo Banco foi cedida à autarquia da Lousã para que possa estar disponível à comunidade.

A cerimónia de assinatura da cedência justificou a deslocação de Graça Fonseca ao concelho da Lousã. Ali, a ministra da Cultura enfatizou o “trabalho importante de descentralização da coleção do Novo Banco”, acordado há cerca de quatro anos, no processo de venda do banco.

“É importante que estas peças saiam das salas dos Conselhos de Administração do banco e estejam disponíveis ao público. Hoje, tendo em conta a conjuntura, a colaboração entre privados e administração central é cada vez mais necessária”, realçou Graça Fonseca.

O anfitrião, Luís Antunes, deu vários exemplos sobre a aposta da autarquia na promoção da cultural, assegurando que, em três anos, contabilizando os investimentos no Castelo, no Cine-Teatro e no Museu Álvaro Viana de Lemos, o Município vai investir um total de 2,8 milhões de euros. “A cultura é um elemento essencial para o desenvolvimento das comunidades”, alertou.

Pode ler a notícia completa e ver as imagens das peças de arte da coleção do Novo Banco que chegaram ontem à Lousã na edição digital e impressa do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.