Coimbra: 14 Repúblicas de Estudantes já são entidades de interesse histórico local

Posted by

DB-Carlos Jorge Monteiro

O executivo municipal de Coimbra aprovou esta segunda-feira, por unanimidade, o reconhecimento das associações Real República Ay-Ó-Linda e Real República Boa-Bay-Ela como entidades de interesse histórico e cultural ou social local. Com esta decisão, são já 14 as residências de estudantes que viram confirmadas as suas candidaturas feitas junto da autarquia e que permite, entre outros benefícios, a proteção prevista no regime jurídico do arrendamento urbano e acesso a benefícios ou isenções fiscais a conceder pelo município.

As intenções de candidatura apresentadas por estas duas associações foram aprovadas nas reuniões de 10 de fevereiro e 9 de março, respetivamente, tendo posteriormente sido submetidas a um período de consulta pública de 20 dias. Durante esse período não deu entrada na Câmara de Coimbra qualquer sugestão ou participação pública sobre os processos e, como tal, foi possível concretizar na passada segunda-feira esses reconhecimentos por parte do executivo municipal.

Refira-se que a Associação Real República Ay-Ó–Linda nasceu em 1951, apesar de já existir, com o nome República Mija-Gato, desde 1949. Foi a geração conhecida por “Os Fundadores” que foi responsável pela sua instalação no local onde permanece nos dias de hoje, em frente aos Arcos do Jardim, no número 33.

Quanto à Associação Real República Boa-Bay-Ela foi fundada em 26 de janeiro de 1956 e grande parte da sua história está documentada no livro comemorativo do seu 50.º aniversário, elaborado por ilustres gerações de residentes que, com a colaboração de algumas pessoas “amigas da casa”, reuniram um precioso conjunto de testemunhos de antigos residentes da república, desde a data da sua fundação até à primeira década do séc. XXI.

Pode ler a notícia completa na edição digital e impressa do Diário As Beiras

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.