Espaços interiores devem ser “fortemente ventilados”, defende cientista da UC

Manuel Gameiro da Silva é especialista em climatização

Um cientista da Universidade de Coimbra (UC) defendeu que “os espaços interiores com ocupação humana devem ser fortemente ventilados, exclusivamente com ar novo”, para diminuir as concentrações do novo coronavírus caso haja contaminação por partículas em suspensão. Segundo Manuel Gameiro da Silva, professor catedrático do Departamento de Engenharia Mecânica da FCTUC, a qualidade do ar interior é crítica e devem ser tidos alguns cuidados enquanto existir a crise pandémica.
No seu entender, “não devem ser realizadas reuniões presenciais” e, quando se planeia uma saída para locais frequentados por outras pessoas, deve-se levar máscara e, se possível, viseira”. “As máscaras normais não são completamente eficazes na retenção das partículas de menor dimensão, pelo que o uso combinado com uma viseira aumenta substancialmente a eficácia de retenção”, defende.
Estes alertas surgem após uma análise que o cientista da UC realizou devido às dúvidas sobre “a importância que as autoridades de saúde, quer a nível nacional e internacional, atribuem ao papel que desempenham os diferentes modos de transmissão na propagação das infeções virais e as consequências que daí podem advir”.
Manuel Gameiro da Silva considera que, “sem que haja uma evidência científica que o justifique, se tem menorizado o papel que pode ser desempenhado pela transmissão através do modo de partículas em suspensão”. Para o cientista, os diferentes modos de transmissão das doenças infecciosas estão associados a partículas de dimensões diferentes, não havendo dúvidas de que o novo coronavírus se transmite maioritariamente através das partículas exaladas pelos doentes contaminados.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.