Covid-19: Autoridades detiveram 99 pessoas e encerraram 248 estabelecimentos desde 3 de abril

Posted by

ARQUIVO DB/PEDRO RAMOS

Noventa e nove pessoas foram detidas e 248 estabelecimentos comerciais foram encerrados pela PSP e pela GNR até às 17H00 de hoje desde a renovação do estado de emergência devido à pandemia, em 3 de abril, anunciou o Governo.

Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) explica que foram detidas 99 pessoas por crime de desobediência, das quais 25 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 45 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, duas por desobediência de interdição de circulação fora do concelho no período da Páscoa, 11 por desobediência ao encerramento de estabelecimentos e cinco por resistência.

Foram ainda detidas pelas forças de segurança 11 pessoas por violação da cerca sanitária de Ovar, no distrito de Aveiro.

De acordo com o MAI, neste período foram ainda encerrados 263 estabelecimentos, “por incumprimento das normas estabelecidas”.

“Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de estado de emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 02 de abril, [em que] se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais”, lê-se na nota.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 470 mortos, mais 35 do que na sexta-feira (+8%), e 15.987 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 515 em relação a sexta-feira (+3,3%).

Dos infetados, 1.175 estão internados, 233 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 266 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.