Opinião – Ok Computer

Posted by

O Governo decretou, com início a 16 de Março e reavaliação a 9 de Abril de 2020, a suspensão das actividades lectivas e não lectivas e formativas com presença de estudantes em estabelecimentos de ensino públicos, particulares e cooperativos e do sector social e solidário de educação pré-escolar, básica, secundária e do ensino superior. Contudo, fixou vários apoios, desde faltas justificadas a subsídios às famílias.
Os trabalhadores da Administração Pública deverão ficar em regime de teletrabalho, desde 16 de Março, sempre que as funções que exercem o permitam. Desde a mesma data que o regime de prestação subordinada de teletrabalho pode ser determinado unilateralmente pelo empregador privado ou requerida pelo trabalhador, sem necessidade de acordo das partes, desde que compatível com as funções exercidas.
Desta forma, temos miúdos em casa o dia todo, pais em teletrabalho, escolas virtuais, trabalhos para fazer recebidos por e-mail, posteriormente digitalizados e devolvidos para correcção. Dito assim até parece coisa moderna, inovadora, desmaterializada, estamos todos online. Contudo, temo pelo progresso escolar, educacional e social, desde os mais novos até aos que este ano vão/iriam entrar para a Universidade ou Politécnico. E, obviamente, que os mais desfavorecidos (quer por causa dos baixo rendimentos, quer por terem alguma incapacidade ou necessidade especial) estão em desvantagem nítida.
Não conheço os números, mas acho que não fujo à verdade se disser que em muitas casas portuguesas não há computador, ou mais do que um pelo menos (e esse poderá estar a ser utilizado em teletrabalho). E terão todas as habitações internet de alta velocidade? E de baixa? E smart tvs para interagir com a escola versão “youtuber”? O mais provável é haver smartphones com acesso à internet, mas as plataformas e o software usado nas escolas virtuais não estão preparadas para telemóveis, nem para tablets. Que, lá está, nem todos têm. Os que têm exigem preparação e atenção dos pais junto dos mais novos, o que ainda pode ser difícil nos dias de hoje. Estão a teletrabalhar.

2 Comments

  1. Poortugues says:

    Houve um Primeiro Ministro que, há 12 anos, distribuiu computadores pelos alunos. O programa foi um fracasso porque apesar da esmagadora maioria dos alunos os ter adquirido, a esmagadora maioria dos professores ignorou essa distribuição e não os usou nas aulas. Adicionalmente, até havia tarifários de internet movel com desconto.

    Não deixa de ser irónico que, 12 anos depois, os mesmos professores estejam preocupados com os alunos e lamentem que os mesmos não tenham computadores e/ou acesso à internet.

    Podiamos estar largos anos à frente dos outros mas, infelizmente, somos portugueses. Desperdiçamos oportunidades e depois lamentamos (ou até criticamos) porque não as temos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.