Câmara de Coimbra associa-se hoje à “Hora do Planeta 2020”

 

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) volta a associar-se hoje à “Hora do Planeta”, desligando a iluminação dos Paços do Município e do Aqueduto de São Sebastião, popularmente conhecido como os Arcos do Jardim, entre as 20H30 e as 21H30. Esta iniciativa global, que já se realiza há 12 anos, pretende consciencializar a população sobre as alterações climáticas e é promovida pelo World Wildlife Fund, sendo que em Portugal conta com o envolvimento da Associação Natureza Portugal e da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

“Este é mais um contributo da CMC para a sustentabilidade ambiental, a par de outras medidas que têm vindo a ser implementadas, como a aposta na mobilidade elétrica, a criação de ciclovias e a eficiência energética nos edifícios municipais, designadamente nos bairros da Rosa, do Ingote e da Conchada, estando ainda em elaboração o Programa Municipal para as Alterações Climáticas”, destaca a edilidade em comunicado.

No dia 28 de março, entre as 20H30 e as 21H30 desligue a iluminação. É este o desafio de mais uma edição da “Hora do Planeta”, iniciativa a que a CMC se volta a associar. “Para esse feito, a autarquia vai desligar a iluminação dos Paços do Município e do Aqueduto de São Sebastião, tendo em consideração que a temática deste ano é a água e a biodiversidade”, refere a nota enviada às redações.

A “Hora do Planeta” é uma forma de consciencializar a população para o grave problema das alterações climáticas. No ano passado, milhares de cidades de 188 países participaram nesta iniciativa que apagou, em simultâneo, mais de 12.000 monumentos e edifício emblemáticos, como a Sydney Harbour Bridge, a Golden Gate Bridge, o Coliseu de Roma, entre muitos outros.

A CMC, segundo o mesmo comunicado, “tem vindo a adotar várias iniciativas que contribuem para a mitigação das alterações climáticas, designadamente a aquisição de 24 autocarros 100% elétricos para reforçar a frota dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), num investimento previsto de cerca de 14 milhões de euros; empreitadas de reabilitação de edifícios municipais, incluindo os bairros do Ingote, da Rosa e da Conchada, que visam melhorar o desempenho energético de mais de três centenas de frações, num investimento superior a seis milhões de euros; a criação de mais 14,5km de ciclovia na cidade, num troço que irá ligar Coimbra B à Portela e Vale das Flores, num investimento global superior a dois milhões de euros; e a elaboração do Regulamento Municipal “Coimbra Cidade Sustentável”, que apresenta um conjunto de regras e critérios para a definição dos apoios a conceder aos munícipes que pretendam aderir ao programa de incentivos à aquisição de sistemas de produção de energia elétrica fotovoltaica para autoconsumo”.

Neste momento, termina a nota, “decorrem também os trabalhos para a elaboração do Programa Municipal para as Alterações Climáticas”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.