Providência cautelar no concurso do Metrobus

Posted by

DR

O início das obras de construção do troço suburbano do Metrobus no antigo Ramal da Lousã deverá sofrer mais um atraso. É que, foi apresentada – pelo consórcio preterido no concurso público da 1.ª fase das obras – uma providência cautelar no Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa, correspondente à empreitada do troço Serpins-Alto de São João.

Embora não tenha especificado o motivo, o presidente do conselho de administração do Metro Mondego, João Marrana, confirmou o atraso.

A adjudicação da 1.ª fase das obras, no valor de quase 23,8 milhões de euros, foi feita a 1 de outubro de 2019 – pela Infraestruturas de Portugal (IP) ao consórcio de empresas Comsa e Fergrupo – mas o processo de consignação ainda não avançou pelo motivo referido, embora já tenha o visto favorável do Tribunal de Contas, soube o DIÁRIO AS BEIRAS de fonte ligada ao processo.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.