O ceramista que trabalhou no Portugal dos Pequenitos

FOTO DB/PEDRO RAMOS

Lembra-se daquele momento como se tivesse acontecido ontem. Como era hábito, ajudava o pai no antigo barracão, localizado ao fundo do Portugal dos Pequenitos.

Ali eram trabalhadas algumas das estátuas que viriam a ser expostas no parque temático, que tinha sido inaugurado poucos anos antes. O pai – Victor Hugo Eliseu – trabalhava com Cabral Antunes.

“Devia ter uns 10 anos e eu estava no barracão a trabalhar quando senti uma mão a tocar-me no ombro. Era o Bissaya Barreto e o seu adjunto”.

Dirigindo-se ao pequeno Victor Eliseu, o filantropo perguntou o que ele estava ali a fazer.

“Respondi que estava a lavar o molde. Ele não sabia para que servia aquilo e estive a explicar tudo. Tinha que tirar e lavar o barro do molde para que, quando o meu pai chegasse, estivesse pronto para ele fundir”, conta o ceramista.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.