26% do investimento do Metro Mondego garantido no próximo Orçamento de Estado

Posted by

A proposta de Orçamento do Estado para 2020, entregue ontem no parlamento, prevê o investimento de 22 milhões de euros no Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) no próximo ano, o que representa 26% do total do projeto.

De acordo com o documento, disponível na página da Assembleia da República na Internet, o investimento total previsto é de cerca de 85 milhões de euros, um valor próximo do que tem sido referido.

“Foi encontrada uma solução de ‘metrobus’ elétrico que aproveitará o investimento em infraestruturas feito até ao momento e que se constituirá num troço urbano (Alto de São João/Coimbra e Linha do Hospital) e num troço suburbano (Serpins/Alto de São João)”, recorda-se na proposta.

No total, acrescenta o executivo, “prevê-se um investimento de cerca de 85 milhões de euros, dos quais cerca de 26% serão executados em 2020”.

Segundo a proposta, as obras terão início em 2020, depois de concluída a contratação da primeira fase.

O Governo e a Infraestruturas de Portugal asseguraram este ano que o SMM começa a funcionar em 2021, de forma faseada.

Em causa está a circulação de um ‘metrobus’ numa linha centenária, encerrada em 2010 pelo Governo de José Sócrates, que iniciou as obras para o metro ligeiro e que as parou depois por razões financeiras.

One Comment

  1. João H. R. de Azevedo says:

    Só desejo que esse projeto não resulte! É uma enorme vergonha, num país da União Europeia, a adoção dum modo de transporte terceiro mundista, utilizado nas cidades da América Latina, Brasil e África! Que recuem nessa estúpida solução e reponham os carris, de modo a poderem ligar essas zonas à rede ferroviaria nacional! Quanto a Coimbra, instalem uma linha de tram, como todas as cidades europeias daquelas dimensões possuem! Basta de vergonhas! Estará algum autarca a ganhar com o estratagema?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.