Programa Incorpora facilitou mais de mil empregos a pessoas em vulnerabilidade

Cerca de mil pessoas em situação de vulnerabilidade conseguiram emprego ao abrigo do Programa Incorpora, criado em 2018 pela Fundação “la Caixa”.

Segundo um comunicado divulgado hoje, 13 organizações juntaram-se este ano à rede do programa, com o objetivo de promover a contratação de pessoas em risco de exclusão social junto de empresas, passando a um total de 46. Ao todo, 1.056 conseguiram emprego, com a colaboração de 436 empresas, informa o comunicado da “la Caixa”.

O Instituto do Emprego e Formação Profissional colaborou, através de um protocolo, no processo de seleção das entidades Incorpora em Portugal e presta apoio no processo de implantação do programa do país.

As organizações sociais encontram-se em Lisboa (14), Porto (9), Coimbra (5) e Setúbal (5). Este ano, a rede passou a incluir também Faro (5), Beja (3), Viseu (4) e Évora (2).

As pessoas em situação de vulnerabilidade abrangem jovens NEET (nem estudam, nem trabalham), desempregados de longa duração maiores de 45 anos, ex-reclusos, ex-toxicodependentes, vítimas de violência doméstica e pessoas com deficiência ou incapacidade.

Cada entidade selecionada coloca ao dispor um técnico de acompanhamento, que presta apoio personalizado à pessoa em questão, e um técnico de prospeção empresarial que identifique e visite empresas e potenciais postos de trabalho.

O programa Incorpora pretende “fazer a ligação entre as entidades sociais e as empresas portuguesas com a finalidade de criar um clima de entendimento e colaboração entre ambas, que se traduza na criação de oportunidades de emprego para quem mais necessita”, indica o comunicado.

A Fundação “la Caixa” iniciou a sua atividade em Portugal em 2018, em resultado da entrada do BPI no CaixaBank, e este ano destina 20 milhões de euros para projetos sociais, de investigação, educativos e de divulgação cultural e científica.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.