Mira investe 250 mil euros para “corrigir anomalias” na rede de distribuição de água

Posted by

FOTO DR

Mira está a realizar “um investimento pontual” de 250 mil euros na rede pública de distribuição de água, seguido da requalificação, em 2020, da Estação de Tratamento de Águas do concelho, foi hoje anunciado.

“O objetivo da intervenção que já está a decorrer é o de corrigir anomalias, sobretudo na coloração e transparência da água da rede, que apresenta níveis de ferro e manganês elevados, mas que não são prejudiciais à saúde”, disse à Lusa o presidente da câmara deste concelho do distrito de Coimbra, Raul Almeida.

A autarquia decidiu avançar com instalação do novo sistema de filtragem depois de ter recebido diversas queixas acerca do aspeto da água, que em muitas ocasiões sai das torneiras turva e acastanhada.

“Sabemos pelas análises regulares que a água é potável e perfeitamente adequada para consumo humano, mas decidimos recorrer ao orçamento municipal para suportar este investimento pontual destinado a melhorar a qualidade e o aspeto”, refere o autarca.

A intervenção passa pela instalação de um novo sistema de filtragem e novos furos.

“Estas intervenções têm criado perturbações pontuais na rede, esperando-se que, após estarem concluídas, nos próximos dias, a situação fique normalizada”, garante Raul Almeida.

Para 2020 está prevista uma “intervenção de fundo” na rede pública, para requalificação da estação de captação e tratamento de água da Lagoa, novas reservas e modernização da rede, com um valor estimado de 1,3 milhões de euros.

Esta intervenção, que foi anunciada em julho, decorre de uma candidatura ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), feita no âmbito da empresa intermunicipal constituída em 2018 pelos municípios de Mira, Montemor-o-Velho e Soure.

“Uma vez que o programa Portugal 2020 só permite candidaturas que envolvam áreas territoriais de três ou mais concelhos foi necessário procurar parceiros, neste caso os municípios de Montemor e Soure, atingindo assim o número mínimo de 50 mil habitantes”, explica Raul Almeida.

Em julho de 2018, Mira uniu-se a Montemor e Soure na criação de uma empresa de abastecimento de água e tratamento de águas residuais, que serve mais de 50 mil pessoas.

A Águas do Baixo Mondego e Gândara, EIM – Empresa Intermunicipal, S.A é uma empresa pública detida exclusivamente pelos três municípios em partes iguais.

Mira apresentou ainda uma segunda candidatura, nos mesmos moldes, para um projeto de saneamento de águas residuais que visa o fecho de sistemas, nomeadamente a ligação da rede de saneamento da Zona Industrial de Mira Polo I e Polo II, para encaminhamento dos efluentes para tratamento e destino final.

“Esperamos que após estas intervenções deixem de existir anomalias no abastecimento público de água em Mira”, conclui Raul Almeida.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.