SEF deteta 33 cidadãos estrangeiros em situação irregular em Cantanhede

DR

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desencadeou na madrugada de ontem uma ação de fiscalização, “direcionada à sinalização de situações de exploração laboral e auxílio à imigração ilegal no setor da exploração florestal em Cantanhede”, explica nota de imprensa do organismo enviada ao DIÁRIO AS BEIRAS.

“A operação decorreu em diversas vias públicas na cidade de Cantanhede e levou à identificação de cerca de 60 trabalhadores de nacionalidade estrangeira. Desses foram detetados 33 cidadãos estrangeiros em situação irregular, uma vez que não estavam habilitados ao desempenho de qualquer atividade profissional no nosso País”, acrescenta o documento.

Segundo o SEF, “do total de trabalhadores em situação irregular, 31 foram notificados para abandono voluntário de território nacional no prazo de vinte dias, sob pena de, em caso de incumprimento, puderem vir a ser detidos e objeto de procedimentos de afastamento coercivo e dois foram detidos, um por permanência ilegal, uma vez que já havia sido objeto de notificação para abandono do País, a qual havia cumprido, e o outro pela prática do crime de violação da medida de interdição de entrada em Portugal”

“As entidades patronais que mantinham ao seu serviço estes trabalhadores estão desde já sujeitas a procedimentos contraordenacionais a que corresponderão coimas, no total, entre os 12.000 e os 60.000 euros”, explica o documento

A ação, que contou com a colaboração da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Autoridade Tributária e Aduaneira (ATA), “teve ainda como resultados imediatos a detenção por parte da GNR de um cidadão por condução sob o efeito de álcool e a instauração de vários procedimentos contraordenacionais”, adianta ainda a nota de imprensa.

A operação contou com um efetivo de 17 inspetores do SEF, 11 militares da GNR e 5 inspetores da ATA.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.