Opinião – Teaching and Learning International Survey -1

Posted by

No ano de 2018 decorreu, nos países da OCDE, o Projeto TALIS (Teaching and Learning International Survey) sobre o ensino, os ambientes de aprendizagem existentes nas escolas e as condições de trabalho proporcionadas aos professores e respetivos diretores.
Este projeto internacional, promovido pela OCDE, baseou-se em questionários que foram preenchidos por cerca de 260 000 docentes, em 48 países, em representação de cerca de 8 milhões de professores. Em Portugal participaram 3 676 docentes do 3º ciclo e 200 diretores, sendo que a Escola Secundária Dr. Bernardino Machado, sede do Agrupamento de Escolas Figueira Mar, na Figueira da Foz, foi uma das participantes.
Os temas considerados mais pertinentes e selecionados pela OCDE, foram os seguintes: práticas de ensino dos professores; liderança escolar; práticas profissionais dos professores; formação para a docência; feedback e desenvolvimento profissional dos professores; clima de escola; satisfação no trabalho; gestão de recursos docentes e relações com os parceiros educativos; autoeficácia dos professores; inovação; equidade; diversidade. Tudo muito atual, como se constata.
Em junho de 2019 foi publicado o primeiro volume com as conclusões desta investigação: Teachers and School Leaders as Lifelong Learners, que analisa as dimensões do conhecimento e das competências associadas ao exercício da profissão. No início de 2020 será publicado o segundo volume: Teachers and School Leaders as Valued Professionals, sobre as questões do prestígio, carreira, cultura colaborativa, responsabilidade e autonomia.
Analisando algumas das conclusões verifica-se, por exemplo, que para 84% dos professores portugueses a opção de exercer esta profissão foi uma primeira escolha, tendo considerado a importância e a influência que poderiam exercer numa melhor formação dos nossos jovens e das futuras gerações de portugueses. Esta percentagem nacional é bastante superior à média dos professores da OCDE que responderam a este inquérito, sendo que apenas 67% declararam que a escolha desta profissão foi uma primeira opção.
A média da idade dos atuais professores portugueses é de 49 anos, enquanto nos restantes países da OCDE é de 44 anos.
No entanto, 47% dos docentes portugueses têm idade superior a 50 anos, enquanto a média nos outros 47 países que participaram nesta investigação é de 34%. Assim, está comprovado que durante a próxima década, Portugal terá que renovar cerca de metade do seu corpo docente.
A média de idade dos professores com mais de 50 anos em Itália é de 48,4%, na Áustria é de 43,8%, em Espanha é de 36,4%, na Finlândia é de 35,3%, em França 27,2% e no Reino Unido 18,5%.
Os diretores portugueses têm em média 54 anos de idade (média de 52 anos nos outros países da OCDE), sendo que 23% têm mais de 60 anos (média de 20% nos outros países).
Em Portugal, 74% dos professores são do sexo feminino ( 68% nos outros países).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.