Opinião: Planeta Terra

Posted by

No livro “Ensino, Formação, Educação – Cidade do Conhecimento” classifiquei as ciências em Ciências do Universo, Ciências da Terra e Espaciais e Ciências do Além. Faltou nesta classificação – agora que cada vez há mais dificuldade em arranjar emprego – aquilo que passo a designar por Ciências da Harmonia ou do Bem-estar, que incluem as Ciências do Desporto, Artes e Trabalho.

O trabalho, ou seja, o produto do trabalho, é que é o sustentáculo de todas as ciências, como o alimento é o sustentáculo de todas as vidas, e as Humanidades nada produzem, só consomem, e são elas que põem e dispõem por serem o alimento e o sustentáculo do poder.

Coimbra pode ser parte do alimento. Perder, não será a maior parte das vezes pelo conhecimento, mas pela passividade e comodismo do seu comportamento.

É altura de dizermos “basta!”. E como no desporto ainda não impera a partidarice, seja por este que essa passividade, e tomando como exemplo do passado, em que a Académica disputava (e bem posicionada) a primeira divisão, seja esta a meta a atingir, se não este ano, seja para o próximo e para todo o sempre.

Eis a minha sugestão. Enquanto dirigente académico e estudante, três colegas da minha república que vieram a ser médicos (o curso mais trabalhoso) jogavam na Académica, primeira divisão e a minha república foi campeã entre as repúblicas. Que fazer então?

Criar dois colégios ligados às universidades, com todos os cursos e ainda profissionais, para o despertar de talentos nos jovens e aproveitamento de talentos em fim de carreira, para que tenham, se necessário for, uma vida com dignidade e não sejam apenas os seus únicos caminhos futuros o de árbitro ou de treinador.

Há instalações devolutas que podem ser utilizadas: para o despertar de talentos, o antigo quartel de Santa Clara, do Regimento de Artilharia Ligeira 2 (RAL 2 ). Para o aproveitamento de talentos, poderia servir o Segundo Grupo de Companhias de Saúde da Rua da Sofia.

Penso nos idosos nas penitenciárias e nos lares. Nas suas faces, haveria mais brilho nos olhos e sorrisos a assistir a um jogo no campo de futebol ou até nos ecrãs da televisão, em casa e mesmo acamados.

Senhor Presidente da Câmara e Digníssimo Reitor, o momento é hoje, amanhã já pode ser tarde. Não se queira ser responsável pela apatia.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.