Opinião: Engenharia do impossível