Morte em farmacêutica de Coimbra volta a tribunal

FOTO ARQUIVO/PEDRO RAMOS

A farmacêutica Bluepharma, Isolina Mesquita, administradora da empresa, e Maria Filomena Reis, responsável pela coordenação dos serviços de limpeza atualmente reformada, começaram ontem a ser julgadas acusadas pelo Ministério Público de violação de regras de segurança que terá levado à morte de uma trabalhadora, em julho de 2012.

Pelo mesmo crime, a Bluepharma foi condenada pelo Tribunal de Coimbra, em 2016, ao pagamento de uma multa de 360 mil euros, mas acabou por ser absolvida pelo Tribunal da Relação. O presidente da empresa que na altura também foi constituído arguido, foi igualmente absolvido.

A vítima, Nércia Silva, funcionária de uma empresa de limpezas externa à farmacêutica, morreu na sequência de uma queda quando procedia à limpeza da parte superior de um portão, a uma altura de mais de dois metros, num cesto metálico apoiado no garfo de um empilhador.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.