Ana Abrunhosa é a nova Ministra da Coesão Territorial

Posted by

FOTO DB/CARLOS JORGE MONTEIRO

O primeiro-ministro indigitado propôs hoje ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação de Ana Abrunhosa para o cargo de ministra da Coesão Territorial, uma nova pasta na orgânica do XXII Governo Constitucional.

A proposta de nomeação de Ana Abrunhosa consta do portal da Presidência da República, após António Costa ter hoje entregado ao chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, a lista de nomes do XXII Governo Constitucional.

Ana Maria Pereira Abrunhosa, doutorada em Economia pela Universidade de Coimbra, foi até agora presidente da Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional do Centro.

Refira-se que o segundo executivo liderado por António Costa vai integrar 19 ministros, além do primeiro-ministro, o que o torna o maior em ministérios dos 21 Governos Constitucionais, e também o que tem mais mulheres ministras, num total de oito.

Segundo a composição de governo hoje proposta pelo primeiro-ministro e a que o Presidente da República deu assentimento, o executivo terá um total de 19 ministros, mais dois do que a primeira composição do XXI Governo de António Costa e do que a atual formação governamental.

A primeira composição do XXI Governo de António Costa, que tomou posse em 26 de novembro de 2015, integrava 17 ministros, além do primeiro-ministro, o que já o tornava um dos maiores dos vinte Governos Constitucionais desde 1976, que tiveram em média 16 ministérios.

Na última grande remodelação governamental, concretizada em 18 de fevereiro deste ano, mantinha-se o número de ministros: 17, além do primeiro-ministro.

O número de mulheres ministras duplicará em relação à formação inicial do XXI Governo Constitucional – passando de quatro para oito – e terá mais três que a atual composição governamental (eram cinco): mantêm-se, nas mesmas pastas, Francisca Van Dunem (Justiça), Graça Fonseca (Cultura), Marta Temido (Saúde). Também ministra continuará Mariana Vieira da Silva, que sobe a ministra de Estado, ficando também com a área da Presidência.

De atuais secretárias de Estado sobem a ministras Alexandra Leitão (Modernização do Estado e da Administração Pública), Ana Mendes Godinho (Trabalho, Solidariedade e Segurança Social) e Maria do Céu Albuquerque (Agricultura) e há uma nova ministra: Ana Abrunhosa (Coesão Territorial).

Na atual composição governamental, desapareceram as relações familiares diretas conhecidas entre os ministros do anterior executivo, com a saída de Ana Paula Vitorino (casada com Eduardo Cabrita), e de José Vieira da Silva (pai de Mariana Vieira da Silva).

Primeiro-Ministro – António Costa

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital – Pedro Siza Vieira

Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros –  Augusto Santos Silva

Ministra de Estado e da Presidência – Mariana Vieira da Silva

Ministro de Estado e das Finanças – Mário Centeno

Ministro da Defesa Nacional – João Gomes Cravinho

Ministro da Administração Interna – Eduardo Cabrita

Ministra da Justiça – Francisca Van Dunen

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública – Alexandra Leitão

Ministro do Planeamento – Nelson Souza

Ministra da Cultura – Graça Fonseca

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior –  Manuel Heitor

Ministro da Educação –  Tiago Brandão Rodrigues

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social –  Ana Mendes Godinho

Ministra da Saúde –  Marta Temido

Ministro do Ambiente e da Ação Climática –  João Pedro Matos Fernandes

Ministro das Infraestruturas e da Habitação –  Pedro Nuno Santos

Ministra da Coesão Territorial – Ana Abrunhosa

Ministra da Agricultura – Maria do Céu Albuquerque

Ministro do Mar – Ricardo Serrão Santos

Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares – Duarte Cordeiro

Secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro – Tiago Antunes

Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros – André Moz Caldas

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.