Governo investe 9 ME em máquinas pesadas para sapadores florestais

Posted by

DR

A aquisição de máquinas pesadas no valor de nove milhões de euros para equipas de sapadores inscreve-se na aposta do Governo na reforma da floresta portuguesa, disse ontem o ministro da Agricultura.

Na Lousã, Luís Capoulas Santos realçou que o Governo, ao entregar essa maquinaria a 12 comunidades intermunicipais (CIM) que já dispõem de brigadas próprias de Sapadores Florestais, pretende “que a prevenção, a gestão, o ordenamento e a organização da paisagem possam ser progressivamente conseguidos” na floresta nacional.

Trata-se de “equipamento de alguma monta”, sublinhou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, em declarações aos jornalistas no final da cerimónia de entrega do equipamento, no Centro de Operações Técnicas e Florestais (COTF) da Lousã, no distrito de Coimbra.

“Outra medida muito importante que este Governo adotou foi a proibição da expansão da área do eucalipto em Portugal”, enfatizou.

Luís Capoulas Santos afirmou que “o Governou anterior liberalizou o eucalipto”, sendo este “um dos galardões da antiga ministra” da Agricultura e líder do CDS-PP, Assunção Cristas, a quem se referiu como “a liberalizadora do eucalipto” no país.

Na sua intervenção, e depois no encontro com os jornalistas, o ministro, como já tinha acontecido na segunda-feira, voltou a acusar Assunção Cristas de “manipulação grosseira” dos números do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) e disse que a taxa de decisão das candidaturas é de 81,7%.

Na segunda-feira, a líder centrista disse que Capoulas Santos deveria “olhar para o país” e utilizar os números oficiais do PDR.

“O senhor ministro deve andar mais pelo país para confirmar os números que tem com a realidade. O que vemos – e nós utilizámos números oficiais – é um país agrícola a desesperar pelo atraso na aprovação das candidaturas para o investimento”, criticou Assunção Cristas.

O Governo de António Costa “limitou a área do eucalipto à sua expansão atual”, referiu hoje o ministro da tutela, frisando que, ao abrigo da reforma florestal em curso, “não será possível no futuro plantar mais área do que aquela que é arrancada de forma progressiva”.

“A reforma está a avançar em todas as frentes. Nunca se fez tanto pela floresta e estou certo que isso será seguido no futuro pelos próximos governos”, sublinhou.

A distribuição de maquinaria pesada pelas equipas de sapadores das CIM, para limpeza e outras intervenções nos espaços florestais, “é um momento de uma pequena peça deste puzzle”, considerou, no início da cerimónia de apresentação dos tratores.

A compra deste equipamento foi financiada por fundos europeus, através do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), e pelo Fundo Ambiental.

Intervieram também na sessão o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, o presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes, o presidente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Nuno Banza, e um vogal do conselho diretivo deste organismo, Nuno Sequeira.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.