Mulheres líderes: Margarida Mano: “Sempre senti que ser mulher não era um óbice a nada”

DB-Pedro Ramos

Tem 55 anos.
Sim. Às vezes, tenho que fazer contas.

Nasceu em Coimbra?
Nasci em Coimbra, na Maternidade Daniel de Matos. Os meus pais, na altura, viviam em São Martinho do Bispo e fui muito nova para Santa Clara. Sou sempre da margem esquerda, mas muito de Santa Clara, foi onde cresci e fiz lá toda a minha vida.

Como foi a sua infância?
Foi uma infância muito feliz. Fui uma menina bastante mimada. Fui filha e neta única até aos cinco anos – altura em que nasceu a minha irmã. A minha mãe era professora primária, começou a dar aulas com 18 anos, depois interrompeu quando eu nasci para estar com as filhas e só voltou a dar aulas quando eu tinha nove anos. Portanto, foi uma infância muito tranquila, muito feliz, com muito carinho da família alargada.

Com Agostinho Franklin

 

Ler entrevista completa na edição impressa de hoje, quinta feira, 8 de agosto, do Diário As Beiras

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.