Atelier desenvolvido no Centro de Psiquiatria e Saúde Mental de Coimbra resulta em filme

Posted by

A curta metragem “Danças.comigo?”, gravada no centro de psiquiatria do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), vai ser exibida no segundo semestre deste ano, foi hoje anunciado.

O filme resulta de um atelier de expressão corporal, desenvolvido em contexto terapêutico durante o primeiro semestre de 2019, no Centro de Responsabilidade Integrado (CRI) de Psiquiatria e Saúde Mental do CHUC.

“É através do corpo e da música que existe a possibilidade de estimular autonomia e interesse pela descoberta da interação e inclusão social. A expressão corporal permite a construção de um potencial equilíbrio emocional, afetivo e social, explorando os benefícios de um melhor conhecimento do corpo, pela música”, explica Pedro Renca, enfermeiro em saúde mental e psiquiátrica do Hospital Sobral Cid, citado num comunicado do CHUC.

O especialista assume ter “um interesse particular na aplicação de diferentes formas de expressão porque, utilizando estas estratégias na prática clínica, consegue-se obter melhores resultados terapêuticos e, neste caso em concreto, a missão prende-se com a luta contra o estigma e preconceito, inclusão social e literacia em saúde mental, tudo numa linha de ‘mente positiva'”.

O projeto “Danças.comigo?” envolveu a equipa que colaborou ativamente com Pedro Renca para a concretização da curta-metragem, nomeadamente a compositora e intérprete Luísa Sobral, o terapeuta ocupacional Miguel Pires, a psicóloga clínica Vera Raposo e a médica psiquiatra Carla Silva.

Pedro Renca tem desenvolvido vários projetos onde aborda diferenciadas formas de expressão que proporcionam outras maneiras de comunicar, tendo como foco principal capacitar a “pessoa na procura do seu equilíbrio mental”.

O enfermeiro especialista em saúde mental e psiquiátrica tem produzido vários trabalhos com o mesmo objetivo, que vão desde a pintura, ao desenho, à música e fotografia em óleo e tela, ou ao livro “Historinhas em Psiquiatria” (2008), e às curta-metragens “Esta é a Minha Casa” (2014) e “UMBRA” [(2015).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.