Greves/Saúde: Enfermeiro em protesto avisa que profissionais podem demitir-se em bloco

Posted by

DR Arquivo

O enfermeiro Duarte Gil Barbosa, que anda pelo país a denunciar a falta de concretização das reivindicações da classe, disse hoje, em Coimbra, que os profissionais podem avançar para uma demissão em bloco caso não sejam satisfeitas as suas reivindicações.

“O Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a entrar numa fase de rutura, em que há serviços que, neste momento, só estão a funcionar com muito esforço dos enfermeiros, que estão a trabalhar 40 e 50 horas por semana”, disse aos jornalistas, à entrada dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Duarte Gil Barbosa saiu na terça-feira do Hospital de São João, no Porto, onde trabalha, e esta manhã chegou a Coimbra, depois de percorrer 140 quilómetros, onde tinha à sua espera Ana Paiva, dirigente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), e alguns enfermeiros.

“Os enfermeiros têm lutado, vêm de uma greve cirúrgica em que o Governo conseguiu por termo através de uma requisição civil, estão também a terminar uma greve do Sindepor e, de facto, as nossas lutas não têm a eficácia que nós merecemos”, salientou.

“Sou enfermeiro há 23 anos, tenho uma especialidade há 12 anos, e neste momento estou no mesmo nível de um enfermeiro recém-formado, e na mesma situação estão 15 mil enfermeiros”, sublinhou Duarte Gil Barbosa, que na quinta-feira tenciona chegar a Lisboa e entregar uma carta aberta na Assembleia da República com as reivindicações da classe.

One Comment

  1. Então onde está o problema? Se não querem trabalhar que se demitam Deixem de chular o povo e o país. Outros contestatarios que tomem uma atitude semelhante, e será um bem para o SNS e para o povo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.