(Anti)heróis do mar do Cabedelo falam sobre o salvamento de uma mãe e um filho menor

Posted by

Foto: DB-Jot’Alves
Miguel Guedes e Santiago Boia da Silva

Miguel Guedes, de 41 anos, instrutor de surf, e Santiago Boia da Silva, de oito anos, aluno, estavam a praticar aquela modalidade no Cabedelo, praia do sul da Figueira da Foz, quando foram alertados para o pedido de socorro de uma mãe e um filho ainda criança que tinham sido arrastados por uma onda e encontravam-se numa situação de pré-afogamento.

Uma semana depois, o mestre e o aprendiz continuam a rejeitar que protagonizaram um ato heroico. De resto, a humildade, a simplicidade e a generosidade de ambos não lhes permitem corresponder ao arquétipo de herói.

“Sem a ajuda do Santiago, teria de escolher entre salvar a mãe ou o filho”, afirmou Miguel Guedes ao DIÁRIO AS ABEIRAS, uma semana depois da ocorrência. Teria sido, decerto, uma escolha dramática.

“Comecei a remar com as mãos em direção ao menino. Ele estava muito aflito, a pedir socorro. Quando cheguei junto dele, lancei-lhe a parte da frente da prancha e ele agarrou-se a ela. Disse-lhe: “Tem calma, vai falando, que alguém vem buscar-nos””, contou, por seu lado, o pequeno e corajoso Santiago.

Informação completa na edição impressa

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.