Madalena Carrito desmente crimes de peculato e abuso de poder

Posted by

FOTO DB/ANTÓNIO ALVES

A fundadora e presidente da Associação de Desenvolvimento Integrado de Poiares (ADIP) desmentiu ontem no Tribunal de Coimbra que tivesse praticado os crimes de que é acusado: um crime de peculato e um crime de abuso de poder.

Madalena Carrito disse que, em nenhum momento, quis “prejudicar a instituição”, apostando numa estratégia de explicar cada um dos pontos que consta na acusação.

Isso levou a que, durante a manhã de ontem, a arguida tivesse sido apenas ouvida pelo coletivo e procuradora do Ministério Público.

“E nem na metade da audição ainda estamos”, afirmou o presidente Miguel Veiga às testemunhas que foram convocadas para estar no primeiro dia do julgamento e que irão regressar numa próxima data.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.