Marcelo nos 100 anos de Fernando Namora em Condeixa

Posted by

FOTO DE INÊS TAFULA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, participa na segunda-feira, em Condeixa-a-Nova, na abertura das comemorações do centenário do escritor Fernando Namora.

A cerimónia presidida pelo Chefe de Estado realiza-se às 17:00, no Museu PO.RO.S, naquele vila do distrito de Coimbra, onde nasceu o médico e escritor, em 15 de abril de 1919.

Com esta sessão, a Câmara Municipal inicia o programa comemorativo, que decorrerá ao longo de um ano, terminando em 15 de abril de 2020 com um congresso, exposições, concursos literários e de expressão plástica, e um ciclo de cinema, entre outras realizações culturais.

“Este é um dia importante para Condeixa e para os condeixenses”, disse à agência Lusa o presidente da autarquia, Nuno Moita da Costa, salientando que a visita do Presidente da República, na segunda-feira, “acrescenta valor à iniciativa”.

Trata-se de homenagear a título póstumo “um condeixense de referência e um escritor muito atual, pela forma como aborda na sua obra o mundo rural e o mundo urbano”, adiantou.

Marcelo Rebelo de Sousa é esperado na Casa-Museu Fernando Namora, às 15:00, para inaugurar um painel de azulejos evocativo dos 100 anos do nascimento do escritor.

Às 16:00, no Museu PO.RO.S, abre ao público a exposição “Fernando Namora: itinerário de uma vida, geografia de uma obra”, sendo apresentado igualmente o catálogo, de acordo com uma nota desta autarquia do distrito de Coimbra.

Segue-se a abertura solene das comemorações, no auditório do museu, com o acesso de pessoas condicionado à lotação da sala.

“A Câmara de Condeixa-a-Nova cumpre o seu dever, nunca esgotado, de evocar condignamente um dos maiores vultos da literatura portuguesa do século XX, lembrando a sua obra e o seu legado”, realça Nuno Moita da Costa, citado numa nota do município.

Estas comemorações, segundo o autarca socialista, “assumem particular importância junto das gerações mais novas, resgatando do esquecimento nacional um dos maiores mestres literários contemporâneos”.

O imóvel onde Fernando Namora nasceu e viveu até aos 10 anos, no centro da vila, foi transformado em Casa-Museu, tendo sido reconstituído o seu escritório.

A casa, que acolhe diversos manuscritos e objetos pessoais de Namora, foi aberta ao público em 1990, um ano após a sua morte.

“Este espaço, tutelado pela Câmara Municipal, é hoje o principal polo de divulgação do legado do patrono e onde se desenvolve grande parte da dinâmica cultural do concelho”, ainda segundo o comunicado.

O programa do centenário de Fernando Namora inclui as atividades do 29.º aniversário da Casa-Museu e a realização de um congresso em outubro, repartido por Condeixa, Vila Franca de Xira e Lisboa, além da exposição sobre a vida e a obra de Fernando Namora.

“Com uma ampla produção literária, Fernando Gonçalves Namora (1919-1989) reuniu géneros tão diversos como o romance ou a poesia, a novela ou a biografia, com destaque para as narrativas dos ‘Cadernos de um escritor’ (1988). Alguns dos seus livros foram adaptados ao cinema e traduzidos em diversas línguas”, sublinha a Câmara.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.