Lux Records reedita segundo álbum dos The Parkinsons “Reason to Resist”

Posted by

A editora de Coimbra Lux Records vai reeditar este mês, em vinil, o segundo álbum dos The Parkinsons, “Reason to Resist”, quinze anos após o seu lançamento em Inglaterra.

Editado originalmente em CD, em 2004, o segundo álbum da banda de punk rock formada em Londres no início do século XXI vai conhecer nova vida, com o lançamento em vinil de “Reason to Resist”, a 13 de abril, no âmbito do Record Store Day (dia para celebrar a cultura da loja independente de discos), disse à agência Lusa o responsável pela Lux Records, Rui Ferreira.

“Era um desejo antigo. Dos projetos que foram formados depois dos Tédio Boys [banda de Coimbra], os The Parkinsons eram os únicos que a Lux Records ainda não tinha editado”, salientou Rui Ferreira, realçando que este álbum surgiu num momento em que o vocalista, Afonso Pinto, tinha saído da banda e é o guitarrista Victor Torpedo, que compôs as músicas desse disco, que acaba por cantar na gravação.

Apesar disso, a banda, que depois regressou aos concertos e à edição de novos discos, continua a cantar as músicas deste álbum, como “New Wave” ou “Heroes and Charmers”, notou Rui Ferreira.

No “Reason to Resist”, Victor Torpedo (guitarra e voz), Pedro Chau (baixo e coros) e Eric Boitier (bateria e coros) foram acompanhados por, entre outros, o diretor musical e cocompositor de Morrisey, Boz Boorer, e Cam Blackwood, produtor que já trabalhou com CSS (Cansei de Ser Sexy), Florence and The Machine e We are Scientists

Para Victor Torpedo, esses dois músicos foram a razão para o álbum ter acabado por sair, num momento em que a banda estava numa má fase e em que o vocalista Afonso Pinto tinha abandonado o grupo.

“O Afonso ainda chegou a fazer uma pré-sessão e houve ali uma fase de discordância entre os membros da banda. Durante o primeiro e segundo anos dos The Parkinsons foi tudo realmente explosivo, em termos de promoção da banda. Como deixámos de tocar para preparar o disco e a pressão sentida acabou por aniquilar a banda”, explica o músico.

Foi o produtor Cam Blackwood, na altura a começar a sua carreira, que pediu a Victor Torpedo para tentar fazer uma segunda sessão, já sem Afonso Pinto, e “a demo ficou muito boa”, sublinha.

Já em estúdio, após a aposta de Cam, surgiu Boz Boorer, “que ensaiava ao lado com o gangue do Morrissey. Adorou a ‘cena’ e deu-nos força. Acabou a tocar saxofone e clarinete no disco”, conta Victor Torpedo.

“Se não fossem essas duas personagens a picar-nos, o álbum não saía e a banda acabaria naquele momento”, reconhece, considerando que foi um trabalho gravado “por sorte”, pouco antes de a banda se separar, tendo depois regressado aos discos em 2012, com “Back To Life”.

O concerto de lançamento da reedição de “Reason to Resist” vai decorrer a 20 de abril, no âmbito do “Epicentro!”, um evento de três dias para mostrar a música que se faz por Coimbra.

No mesmo dia de The Parkinsons, atuam também o rapper conimbricense Ruze e os Tricycles, que contam com João Taborda na formação.

Entre 18 e 20 de abril, pelo Salão Brazil, vão também atuar bandas como os a Jigsaw, Portuguese Pedro, The Walks ou D3O, numa iniciativa organizada pela editora Lux Records e pela agência e estúdio Blue House, também de Coimbra.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.