Idai: Montemor-o-Velho envia nove toneladas de bens para Moçambique

FOTO DR

O município de Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, anunciou o envio para Moçambique de mais de nove toneladas de bens de primeira necessidade destinados à população afetada pelo ciclone Idai, no âmbito de uma campanha de solidariedade.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, aquele município da zona do Baixo Mondego, na região centro de Portugal, afirma que as “nove toneladas de esperança” seguirão por via marítima até ao Conselho das Religiões em Moçambique (COREM), “entidade local que irá distribuir os bens recolhidos”.

A campanha solidária Montemor Por Moçambique, lançada pela autarquia entre 23 de março e 05 de abril, permitiu recolher bens como água, leite, massas, cereais, arroz, enlatados, farinhas lácteas, produtos de higiene pessoal, fraldas e outros produtos de higiene para bebés, mas também meios de purificação de água e limpeza, roupa, calçado, cobertores, lençóis, medicamentos, produtos de tratamento e materiais de construção, adianta o comunicado.

“Depois de uma rigorosa inventariação e uma cuidada triagem de todos os bens” – entregues pela população do concelho no quartel dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Velho, no serviço municipal de Proteção Civil, nas juntas de freguesia e nos estabelecimentos aderentes – os produtos foram acondicionados “e já se encontram a caminho de Moçambique”, acrescenta.

O envio dos bens, segundo a nota do município, foi possível graças ao apoio das empresas TransTDF – Grupo Tavares e Olicargo, que os transportaram, por via rodoviária, até ao porto de Leixões. Daí, seguem de comboio até ao Porto de Sines, “tendo como destino final o Porto da Beira, em Moçambique”.

Citado na nota, o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, afirma que “o esforço de todos está já a caminho da cidade da Beira”.

“A generosidade, o empenho e o espírito de entreajuda dos montemorenses, das várias dezenas de voluntários que se entregaram a esta causa e das diversas entidades que se associaram a esta campanha de solidariedade foram, uma vez mais, decisivos para o sucesso da iniciativa Montemor Por Moçambique”, sublinha Emílio Torrão.

O ciclone Idai, que atingiu a região centro de Moçambique, o Maláui e o Zimbabué, a 14 de março, provocou pelo menos 603 mortos em Moçambique e afetou mais de 1,5 milhões de pessoas, segundo as autoridades moçambicanas.

Muitas infraestruturas, incluindo escolas e unidades de cuidados de saúde, foram destruídas ou ficaram danificadas.

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    O desporto nacional da pseudo-solidariedade tem um atleta federado e nós não sabíamos 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.