Góis apela para que habitações destruídas pelos incêndios sejam recuperadas

Aproveitando a presença do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, na sessão solene comemorativa do 45.º aniversário do 25 de abril de 74, que decorreu ontem, no auditório da Casa da Cultura de Góis, Lurdes Castanheira manifestou o seu “desagrado” pelo facto de, após os incêndios de 2017, “ainda não estar nenhuma primeira habitação totalmente recuperada”.
Congratulando-se, no entanto, com “a vontade do Governo em criar medidas para proteger e apoiar os concelhos mais devastados”, a presidente da Câmara de Góis deu a conhecer que “beneficiámos de cerca de quatro milhões de euros que estão a permitir fazer várias intervenções, desde a rede viária, sinalética, guardas de segurança e intervenções nos rios”.
Contudo, “são oito casas que arderam, totalmente e parcialmente, e as nossas famílias mereciam estar instaladas”, lamentou, explicando que “a Câmara Municipal decidiu recorrer ao FAME para poder apoiar todas as famílias que perderam as suas habitações não permanentes”.

 

Notícia completa na edição impressa de dia 26 de abril de 2019

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.