“É evidente que com a renúncia [de João Ataíde] temos uma posição diferente”, defende Carlos Monteiro