Opinião: Figueira é MULHER

Posted by

Nesta sociedade de caráter civilizacional judaico-cristão, onde ainda se acumulam laivos de uma permanente incompreensão pela MULHER, oferecendo-lhe uma parca dignidade, cumprir-se-á amanhã mais um dia comemorativo para lembrar que a MULHER deve ser reconhecida e respeitada como ser íntegro, respeitável e prestigioso da realidade humana.

Assim, realizar-se-ão um conjunto de atividades onde as mulheres reivindicam, com causa justa, o seu espaço de dignidade, de afirmação e de respeito nesta sociedade assumidamente paternalista. Pugnar pela dignidade do feminino exige também que se vá desconstruindo a imagem de homem, pois caso contrário o respeito pela MULHER não passará de uma mera comemoração que, em muitos casos, não passará de um momento desrespeitador da própria condição de ser MULHER.

Afirmou Simone de Beauvoir “Não se nasce mulher, torna-se mulher”. Este tornar-se MULHER exige uma atitude uníssona de intervenção assumidamente digna de respeito pela diferença, pela dignidade, pela igualdade, pela estima, pelo amor.

Por isso, como professor, continuarei, nas minhas salas de aula, a desconstruir a realidade patriarcal desta sociedade, formando os meus jovens alunos figueirenses, de forma a inspirá-los pela construção de uma MULHER que seja respeitada pela diferença de género, que tenha garantidas as mesmas oportunidades socias e laborais, que tenha direito a ser amada rejeitando a violência e que seja entendida e compreendida como aquilo que ela é: MULHER.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.