D. Pedro de Cristo e Verdi interpretados no Ciclo de Requiem de Coimbra

Posted by

Coro Sinfónico Inês de Castro

O Ciclo de Requiem de Coimbra vai decorrer até setembro, com a interpretação de uma obra de Verdi, a estreia em Portugal de uma composição de Dan Forrest e a apresentação de inéditos de Pedro de Cristo.

A sétima edição deste ciclo de música coral sinfónica continua a apostar na diversidade dos compositores escolhidos, não esquecendo obras contemporâneas, num evento que terá, pela primeira vez, um dos concertos fora de Portugal, na Polónia, disse à agência Lusa Maria do Castelo Gouveia, presidente da direção do Coro Sinfónico Inês de Castro, organizador da iniciativa.

A 12 de abril, o Coro Sinfónico Inês de Castro interpreta, juntamente com o Coro da Universidade de Rzeszów e a Orquestra Filharmonia Podkarpacka, o Requiem de Verdi, em Rzeszów, na Polónia, voltando a apresentar a mesma obra a 06 de setembro, no Grande Auditório do Convento São Francisco, em Coimbra, com a participação do coro polaco.

O primeiro concerto do Ciclo de Requiem decorre a 23 de março, no Conservatório de Música de Coimbra, com o Coro e a Orquestra da Universidade do Minho a interpretarem o Requiem de Karl Jenkins.

De seguida, a 31 de março, o evento promove um concerto de música barroca e renascentista portuguesa, com a interpretação pelos Moços do Coro de inéditos de Pedro de Cristo e do Requiem de Duarte Lobo, na Capela de São Miguel da Universidade de Coimbra.

A 06 de abril, o Coro do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e a Orquestra Filarmonia das Beiras apresentam a “Paixão Segundo João”, de Bach, no Conservatório de Música de Coimbra.

A 19 de abril, vai decorrer no Grande Auditório do Convento São Francisco a primeira audição em Portugal da obra “Requiem for the living”, do compositor contemporâneo Dan Forrest, com interpretação a cargo do Coro Sinfónico Inês de Castro e da Orquestra Inês de Castro, sob regência do maestro Artur Pinho Maia.

Segundo Maria do Castelo Gouveia, o ciclo já conta com “um público fiel”, notando um crescimento de edição para edição, tendo contabilizado cerca de 1.800 pessoas no ciclo, em 2018.

“O ciclo tem valores consideráveis, porque a maioria dos concertos são de orquestra e coro. Sem o apoio da Câmara de Coimbra seria inviável realizar este evento”, frisou a responsável, salientando ainda o apoio da Universidade de Coimbra no evento e ainda de algumas entidades “que apoiam com a compra de bilhetes”.

Os bilhetes custam dez euros por concerto.

Para os concertos na Capela de São Miguel e no Conservatório de Música de Coimbra, os bilhetes podem ser adquiridos em www.bol.pt e, para as atuações no Convento São Francisco, no ‘site’ www.ticketline.sapo.pt.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.