Confusão no lote 88 tem muitas histórias divergentes

Posted by

DR

Um empresário agrícola de Taveiro começou ontem a ser julgado no Tribunal de Coimbra pela prática de um crime de danos simples, dois crimes de homicídio qualificado na forma tentada, um crime de dano qualificado, um crime de ofensa à integridade física simples, dois crimes de coação agravada e um crime de detenção da arma proibida. Os factos tiveram lugar na tarde de 17 de maio de 2017 e, depois de ouvidas as principais testemunhas e arguido de 56 anos, têm muitos pontos divergentes.

A questão teve início em 2016 e resultou do emparcelamento feito pelo Ministério da Agricultura nos terrenos da zona de Taveiro. Depois de algumas décadas a tratar de terrenos naquela zona, através do seu arrendamento, o pai do arguido terá “entregue” aos legítimos proprietários os espaços que ocupava naquela zona no ano de 2014.

Situação confirmada por algumas das testemunhas ouvidas em tribunal, mas que o empresário agrícola desconheceria, pois teria dito verbalmente e enviado por escrito uma carta onde “reclamava o direito de arrendatário” de alguns desses terrenos. Um deles é o lote 88 que, em 2016, o legítimo proprietário terá “entregue” aos dois assistentes do processo.

Notícia completa na edição impressa do Diário As Beiras 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.