Pena suspensa para agressores de jovem em Montemor-o-Velho

Spread the love

FOTO ARQUIVO/LUÍS CARREGÃ

Três homens, com idades entre os 25 e os 40 anos, foram ontem condenados a penas suspensas pelo envolvimento nas agressões que levaram à morte de um jovem, em Montemor-o-Velho, no mês de setembro de 2016.
De acordo com o coletivo do Tribunal de Coimbra, os três arguidos – um dos quais guarda prisional – praticaram em coautoria um crime de ofensa à integridade física qualificada, mas que devido à alteração da qualificação jurídica efetuada pelo coletivo levou a que a moldura penal aplicada fosse até aos cinco anos e quatro meses de prisão.
Edgar Monteiro, que é tido como o homem que terá motivado as agressões, foi condenado a quatro anos e nove meses de prisão.
João Paulo Santos, guarda prisional que terá dado vários murros na vítima enquanto esta estava imobilizada, foi condenado a quatro anos e três meses de prisão.
Já João Tarrafa, acusado de ter agarrado e imobilizado Leonardo Queda enquanto os outros o agrediam, foi condenado a uma pena de quatro anos e seis meses de prisão.
De acordo com coletivo, não ficou provado que os arguidos tivessem consciência de que os murros que desferiram sobre a vítima por várias vezes na cabeça poderiam levar à sua morte. O presidente do coletivo explicou ainda que não foi dado como provado que o copo de cerveja entornado tenha sido o motivo para as agressões, mas não apresentou qualquer outro motivo.

Notícia completa na edição impressa de hoje

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.