Deputados do PSD exigem reparação rápida dos danos da “Leslie” na Figueira da Foz

Posted by

Deputados do PSD eleitos pelo círculo de Coimbra exigiram este fim de semana respostas do Governo sobre apoios a associações culturais e desportivas afetadas pela tempestade Leslie, argumentando que falta informação e que as medidas tardam em chegar aos destinatários.

Durante uma visita ao concelho da Figueira da Foz  o mais afetado pela tempestade de 13 e 14 de outubro  a deputada social-democrata Fátima Ramos classificou a situação como “bastante grave” quase três meses após o temporal.

“Qualquer casa sem telhado significa que a chuva cai e destrói, cada mês que passa é mais destruição, é mais prejuízo e, por outro lado, é mais incerteza”, assinalou a deputada do PSD.

Fátima Ramos, acompanhada de Maurício Marques e Ana Oliveira, visitou ontem diversas associações e clubes da Figueira da Foz, nas freguesias de Vila Verde, Tavarede, Buarcos e São Julião e São Pedro, que, no total, sofreram prejuízos que ascendem a mais de meio milhão de euros.

Ana Oliveira, por seu turno, lembrou que o Governo “foi célere” na resposta aos efeitos da tempestade Leslie, mas subsistem dúvidas sobre os prazos de aplicação das medidas: “As pessoas não sabem quando é que isto [o apoio] vai acontecer”, reforçou.

Já Maurício Marques, líder distrital do PSD, afirmou que na freguesia de Vila Verde – onde um clube local, o Grupo Recreativo Vilaverdense, sofreu prejuízos estimados em 100 mil euros – “foi dito que a autarquia se comprometeu a avançar com os 70% que cabiam à administração central sem qualquer reserva, apoiar com mais 20% e os restantes 10% do prejuízo ficariam a cargo da própria instituição afetada”.

Mas em Buarcos, no Grupo Caras Direitas, que contabiliza quase 300 mil euros de danos e cujo pavilhão desportivo ficou praticamente destruído, a informação recolhida pelo PSD aponta para que os 70% de adiantamento autárquico seja concedido, mas só após a candidatura ser aprovada pelo Governo, explicou Maurício Marques.

“Sabe-se que as candidaturas estão limitadas a um máximo de 100 mil euros, mas não se sabe quando abrem nem quem é responsável pelo apoio”, acrescentou.

O concelho da Figueira da Foz, no distrito de Coimbra, foi o mais afetado pela passagem da tempestade Leslie, contabilizando prejuízos de 38 milhões de euros, cerca de um terço dos prejuízos totais, estimados em 120 milhões de euros.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.