Cruz Vermelha pede novo quartel ao município

DB-Carlos Jorge Monteiro

O desafio foi ontem lançado à Câmara Municipal de Coimbra: a delegação da Cruz Vermelha precisa de um espaço onde fazer um novo quartel, garante Gonçalo Órfão, vice-presidente.

A sede da delegação de Coimbra da Cruz Vermelha partilha o seu espaço com a Coordenação Nacional de Emergência desta organização e possui também a sala de operações (a nível nacional).

Para o vice-presidente, o facto de a Cruz Vermelha em Coimbra ter competências para além das locais é algo de que “podemos orgulhar-nos”. Defendeu que houve uma “descentralização propositada” na alocação da Coordenação Nacional de Emergência a Coimbra, quando foram criados três epicentros (norte, centro e sul).

Agora, a Plataforma Logística de Emergência Nacional da Cruz Vermelha vai ser inaugurada dentro de duas semanas num pavilhão, junto à Casa Branca, cedido por particulares, referiu ontem o vice-presidente ao DIÁRIO AS BEIRAS.

Dividida por vários espaços
Este não é o único espaço cedido por particulares à Cruz Vermelha. A sede da delegação, na avenida Fernão de Magalhães, é o único espaço próprio e o crescimento da organização levou a que fosse necessário alugar três salas no resto do prédio. A loja social, na rua da Sofia, é também cedida por particulares, assim como o terreno que serve de estacionamento para as ambulâncias (cedido pela Igreja Universal do Reino de Deus, IURD).

Assim, as funções de emergência e as funções sociais desta organização estão distribuídas por vários espaços na cidade de Coimbra.

Pode consultar a notícia completa na edição impressa desta terça-feira, 11 de dezembro, do Diário As Beiras

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.