UC já “adiantou” 32 milhões de euros para projetos de investigação

Rui Duarte Silva

O “banco universitário” foi criado em 2015 e, desde então, já emprestou mais de 32 milhões de euros.

O inovador projeto desenvolvido na Universidade de Coimbra (UC) – pioneiro a nível nacional – não é formalmente uma instituição bancária, mas cumpre uma das principais funções de qualquer banco: dar crédito ao trabalho científico em curso na UC. Através do Fundo de Tesouraria da UC, o mecanismo adianta financiamento aos projetos de investigação em execução (libertando os investigadores das contingências das transferências das entidades financiadoras).

“Através dos saldos de gerência da UC, encontrámos um mecanismo muito baseado em regras de controlo interno que nos permite adiantar dinheiro aos projetos para que a execução financeira decorra com toda a normalidade, sem sobressaltos. E também para que os investigadores não estejam preocupados com esse apeto do seu trabalho”, refere Teresa Antunes, administradora da UC.

“O que torna distintivo este “banco universitário” é o facto de conseguirmos, com os saldos da universidade, manter em funcionamento os projetos de investigação quando o reembolso dessas verbas é posterior”, explica a responsável.

Pode consultar a notícia completa na edição impressa desta sexta-feira, 16 de novembro, do Diário As Beiras 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.