Investigadores desenvolvem medicamentos e produtos a partir de algas invasoras

Posted by

FOTO LUSA/TIAGO PETINGA

Investigadores europeus estão a estudar algas marinhas invasoras na costa entre Peniche e a Galiza e a desenvolver novos produtos para a indústria farmacêutica, cosmética e alimentar criados a partir dessas algas.

A equipa de investigação do projeto ‘Amália’ já identificou seis espécies de algas invasoras com potencial, sobretudo na costa de Peniche, Figueira da Foz, Viana do Castelo e Galiza, onde aquelas predominam mais.

“Se pegarmos nessas algas, que são uma ameaça, e gerarmos oportunidades e produtos estamos a promover a sustentabilidade do meio ambiente e a promover o crescimento económico, com base nos recursos marinhos”, disse à Lusa Marco Lemos, docente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) e coordenador do projeto.

Ao fim de ano e meio, os investigadores biotecnológicos já desenvolveram e têm em fase pré-comercial uma película natural, que não só substitui os sacos de plástico usados para conservar pescado congelado, como também aumenta a sua qualidade e o seu tempo de conservação.

Em fase pré-comercial está também uma nova ração para aquacultura.

À semelhança da ração, está a ser estudado o aproveitamento dessas algas em novos antibióticos também para aquacultura.

“O uso de compostos das algas invasoras [nestes produtos] pode diminuir a carga microbiana, os agentes patogénicos e a mortalidade” do pescado produzido, aponta.

Estão também a ser estudados usos em protetores solares e outros cremes da indústria cosmética.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.