Estragos da tempestade limitam acesso a Silveirinha

Posted by

A ambulância que faz transporte regular de três doentes residentes em Silveirinha, Penela, só pode aceder à povoação de marcha atrás, por um caminho alternativo. Isto porque o acesso principal está cortado devido a postes de telecomunicações derrubados e cabos pendurados.
Embora os carros ligeiros consigam passar, as ambulâncias e o carro do lixo têm que fazer a manobra alternativa, de marcha atrás, porque a via secundária utilizada não tem largura para fazer inversão de marcha.

Situação arrasta-se
A denúncia é da presidente da União de Freguesias de Silveirinha, São Miguel e Rabaçal, Maria Marmé, ela própria prejudicada pelo derrube de árvores e destruição dos cabos de telecomunicações pela tempestade Leslie, continuando sem serviço Meo em casa. A autarca refere que não conhece outro caso como o dela no Rabaçal, mas em Silveirinha são vários
Relata as dificuldades que tem em comunicar, agravadas pelo facto de ter uma empresa que requer o funcionamento da internet e telefone fixo, para além dos canais de televisão por cabo.

Notícia completa na edição impressa de hoje

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.