Dança contemporânea alia-se ao folclore em oito concelhos da região de Coimbra

Posted by

FOTO DR

O espetáculo “A Viagem”, de Filipa Francisco, vai ser apresentado em oito concelhos da região de Coimbra, num projeto que junta bailarinos de dança contemporânea com ranchos folclóricos locais.

A primeira apresentação do projeto no distrito decorreu em Tábua, em outubro, sendo agora apresentado na Casa da Cultura de Góis, no sábado, com a participação do rancho folclórico Mensageiros da Alegria, informou a organização da iniciativa, inserida no “Coimbra Região de Cultura”, uma rede de programação cultural em 19 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra.

“’A Viagem’ é um projeto com a comunidade, que cruza o folclore com bailarinos de dança contemporânea no mesmo palco. Em cada município onde é apresentado, este espetáculo envolve um grupo folclórico local, colocando em diálogo e confronto a dança tradicional portuguesa com a dança contemporânea”, sublinha a nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O projeto de Filipa Francisco nasceu durante uma viagem a Ramallah, na Palestina, fazendo a primeira aproximação entre “os dois mundos” em 2011, com o rancho folclórico Os Camponeses, de Riachos.

“Em cada nova localidade onde se apresenta, Filipa Francisco procede à investigação sobre as danças tradicionais locais e, desse modo, os espetáculos variam de acordo com os grupos convidados a participar”, explana a organização.

Depois da apresentação em Góis, o espetáculo vai estar, em 2019, em Coimbra (17 de fevereiro), em Cantanhede (16 de março), Miranda do Corvo (13 de abril), Oliveira do Hospital (20 de outubro) e Penela (16 de novembro).

A apresentação na Figueira da Foz ainda está com data por definir.

“Coimbra Região de Cultura” é uma rede de programação patrimonial e cultural que vai implementar mais de 150 iniciativas nos 19 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra: Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Mortágua, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares.

Teatro, música e dança são algumas das artes que se cruzam nesta rede de iniciativas pluridisciplinares, numa iniciativa cofinanciada pelo Centro 2020.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.