Homem atropela ex-companheira para a matar

Um homem de 43 anos atropelou propositadamente a ex-companheira, três dias depois desta terminar a relação. O crime ocorreu em setembro do ano passado, em Midões, Tábua. Acusado de tentativa de homicídio qualificado, o suspeito começa hoje a ser julgado no Tribunal de Coimbra.
O arguido já tinha estado preso pelo mesmo crime e pela prática de violência doméstica em relação à sua ex-mulher, de quem teve três filhos. Tinha saído em liberdade condicional em fevereiro de 2016 e iniciou uma nova relação em março do ano passado.
Segundo a acusação do Ministério Público (MP), citada pela agência Lusa, o arguido e a vítima passaram a viver juntos, em Cadoiço, Tábua, pouco depois do início da relação. Contraíram um empréstimo bancário, no montante de cinco mil euros, para fazer “face a dívidas mútuas”.
O relacionamento entre ambos “nunca foi pacífico”, sendo que o arguido atribuía a maioria das dívidas à companheira de quem tinha ciúmes e acusava de “falta de orientação e cuidado nos gastos diários e no modo de vida que levava, com saídas para festas e passeios”.O MP fala de uma relação conflituosa e com discussões frequentes. A última terá ocorrido a 17 de setembro do ano passado, altura em que a mulher terminou a relação, dizendo ao arguido para tirar os seus pertences da habitação.
Três dias depois (dia 20), o homem avistou a ex-companheira que estava à espera do padeiro, junto a um café, em Cadoiço. “Inverteu o seu sentido de marcha, aproximou-se do ponto” onde a vítima “se encontrava, saiu da faixa de rodagem em que seguia e dirigiu a frente do veículo em direção ao corpo da mesma”, cita a Lusa. A mulher foi projetada 13 metros, caíndo imóvel. Após o embate, o homem fugiu e pernoitou numa casa em construção durante dois dias. A ex-companheira sofreu ferimentos em várias partes do corpo e esteve mais de um mês de baixa médica.
A primeira sessão do julgamento está agendada para as 14H00 de hoje.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.