Duarte Nuno Vieira faz duras críticas à gestão da UC

Duarte Nuno Viera não esteve com meias medidas. Naquela que foi a sua última intervenção no Dia da Faculdade de Medicina enquanto diretor da faculdade, o dirigente lançou duras críticas ao governo da Universidade de Coimbra (UC).
Numa altura em que a instituição se prepara para eleger o próximo reitor (Duarte Nuno Vieira já disse que não seria candidato), o diretor da FMUC disse discordar “intrinsecamente do método eleitoral”. “Apenas me revejo num ato que envolva toda a comunidade académica. E considero absolutamente absurdo um mandato de 24 meses para os diretores das faculdades, o que é verdadeiramente aberrante”, afirmou.
A merecer crítica esteve também a produtividade científica que – disse – “permanece bem aquém do que seria desejável e, nalguns casos, é mesmo nula”.
“Gastam-se rios de dinheiro em revistas científicas locais sem qualquer projeção e publicações cuja saída se limita a pouco mais do que autor e amigos próximos. E o pretexto é que a universidade tem de difundir cultura, esquecendo que a mesma pode ser promovida online, embora com o inconveniente que tal não alimenta alguns egos”, asseverou.
A este propósito, Duarte Nuno Vieira lamentou que se assista à criação de novos centros de investigação na UC, “frequentemente subordinados a interesses e desejos de protagonismo individual ou meramente decorrentes de conflitos de interesse pessoal, e não em fundamentos cientificamente coerentes”.

 

Toda a informação na edição impressa de hoje, 17 de outubro, do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.