Corrupção e arbitragem internacional domina encerramento do Congresso de Direitos Humanos

FOTO DB/CARLOS JORGE MONTEIRO

Os problemas com os contratos públicos e os esquemas usados para extorquir dinheiro do tesouro público foram ontem abordados por Jónatas Machado na intervenção de encerramento do 3.º Congresso Internacional dos Direitos Humanos. A iniciativa decorreu durante três dias na Universidade de Coimbra, com o docente da Faculdade de Direito a aproveitar para lembrar a importância deste tema na sociedade atual.

“É um assunto mais importante do que nunca, pois vivemos num tempo de luta pelos direitos humanos, devido ao crescimento de movimentos populistas, antidemocráticos e com uma visão simplista do mundo”, afirmou Jónatas Machado. Na sua intervenção, o vice-presidente do Centro de Direitos Humanos destacou o caso da empresa Parque Escolar, que transferiu dinheiro do setor público para o privado, através da realização de contratos de associação.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.