Câmara de Gouveia limpa nascente do rio Mondego e fontanários

Posted by

A Câmara Municipal de Gouveia anunciou hoje que procedeu à limpeza dos fontanários e dos espaços de lazer que se encontram ao longo da Estrada Nacional (EN) 232, na Serra da Estrela, incluindo a nascente do rio Mondego.

A autarquia de Gouveia, presidida por Luís Tadeu, refere em comunicado que os seus técnicos realizaram ações “nas fontes do Lagarto, das Costeiras e do Tio Filipe, apesar da sua manutenção e limpeza não ser da responsabilidade da Câmara Municipal de Gouveia, já que a entidade que tem responsabilidade de manutenção destes espaços é a Infraestruturas de Portugal”.

“No entanto, trata-se de áreas de lazer e de espaços naturais que contribuem fortemente para a atratividade turística da Serra da Estrela, do concelho e do município”, reconhece.

Para além das intervenções realizadas nas fontes existentes ao longo da EN 232, a Câmara Municipal de Gouveia, no distrito da Guarda, também realizou trabalhos de limpeza no fontanário do Mondeguinho, o local onde nasce o rio Mondego, e na sua área envolvente.

A intervenção realizada naquele local incluiu o fornecimento e a aplicação das pedras em falta nas mesas e nos bancos, o corte de uma árvore seca, afetada pelo incêndio de 15 de outubro de 2017, que será substituída em breve por outra mesma espécie, o calcetamento do círculo da mesma árvore e a limpeza e o arranjo da encosta, segundo a nota.

Nos fontanários da EN 232, a autarquia podou árvores, procedeu ao desassoreamento e à desobstrução das bacias, ao desentupimento dos escoamentos e à limpeza de grelhas, à remoção de lixo, lamas e cinzas e à lavagem à pressão das paredes e do chão dos equipamentos.

A degradação do local onde nasce o rio Mondego, na Serra da Estrela, levou, em maio, os deputados socialistas Carlos César, Santinho Pacheco e Maria Antónia Almeida Santos a apresentarem um projeto de resolução na Assembleia da República, a recomendar ao Governo que desenvolva as ações necessárias para a sua recuperação e valorização.

No documento, os deputados sugeriam a elaboração e execução “urgentes” de um projeto de salvaguarda e valorização da nascente do rio Mondego, conhecida na região como Mondeguinho, “nas suas componentes patrimonial, ambiental, florestal, cultural e arquitetónica, devolvendo ao local o simbolismo que justifica e merece, como marca do turismo da Serra da Estrela e identidade de toda a Região Centro”.

No texto do projeto de resolução lembravam que o último arranjo da esplanada da nascente do Mondego “terá ocorrido nos anos 50 do século XX”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.