Antes de matar irmão disse: “vai haver festa”

FOTO DB/PEDRO RAMOS

António Marçal, de 59 anos, o suspeito de ter assassinado o irmão, dez anos mais novo, a tiro, num campo de milho, em São Martinho de Árvore, Coimbra, esta quarta-feira, terá dito a várias pessoas no dia do crime: “hoje vai haver festa” e “é hoje que o mato”. Questões relacionadas com partilhas de terrenos e de um barracão agrícola estarão na origem do crime.

Os desentendimentos entre os irmãos eram conhecidos e estavam relacionados sobretudo com a partilha de um barracão (na foto). “Havia uma tensão entre os irmãos mas que se saiba nunca tinha passado do campo verbal, pelo que não se previa este desfecho”, disse ao DIÁRIO AS BEIRAS fonte policial ligada à investigação.

Ao final do dia de quarta-feira, pelas 18H00, Silvino Marçal estava a cortar milho no terreno junto ao barracão, com outro trabalhador, quando o irmão, armado, se dirigiu a ele e “desferiu vários tiros na direção da vítima, vindo a atingi-la na zona do peito, provocando lesões que se revelaram fatais”, refere um comunicado da Polícia Judiciária (PJ). A arma usada era ilegal, acrescenta.

Versão completa na edição impressa

One Comment

  1. maria neves says:

    O Irmão podia ficar milionário com o barracão e ele agora é milionário na cadeia para o resto da vida (isto se houver justiça). Sangue contra sangue! Os bens do Mundo continuam a criar vítimas de barriga cheia, enquanto há gente a morrer de fome e doença!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.