Caravanas no Parque Verde… só por tempo reduzido

Posted by

A atual permanência de autocaravanistas por tempo prolongado no parque de estacionamento do Parque Verde (margem esquerda) não é do agrado do presidente da câmara. Manuel Machado entende que aquela zona deve ser de “passagem” e não de estadia por vários dias, como tem acontecido nos últimos tempos. “Existe um parque municipal de campismo, na zona do Areeiro, cujo concessionário tem pago a renda à autarquia”, disse o autarca.
As declarações de Manuel Machado foram proferidas na reunião do executivo após a intervenção do vereador Francisco Queirós (CDU). No período antes da ordem do dia, o responsável pelo pelouro da Habitação defendeu uma intervenção naquela zona, de forma a que quem ali pare as suas viaturas possa dispor das melhores condições.
O vereador da CDU referiu mesmo que tem propostas de clubes de autocaravanismo que pretendem realizar na cidade encontros de amantes deste tipo de turismo, podendo em alguns dos casos contar com visitantes estrangeiros.
Para Manuel Machado, a câmara não pode criar um espaço concorrencial a um parque que concessionou e cujo responsável tem cumprido com as suas obrigações. “O nosso papel deve ser indutor de levar estes autocaravanistas para o parque municipal de campismo”, frisou. Segundo o autarca, o número de dormidas na cidade, incluindo as que ocorrem no parque de campismo, constam nos índices que garantem as verbas do Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF).

 

Notícia completa na edição impressa do dia 29 de agosto de 2018

4 Comments

  1. João Farrim says:

    É de lamentar a falta de visão estratégica do Presidente da Câmara Municipal de Coimbra. Assim, arrisca-se a afastar o autocaravanismo e os benefícios económicos que estes gera. E depois fica sem autocaravanistas no parque de campismo e na cidade. Mas pelos vistos o Presidente da Câmara de Coimbra dá mais importância ao concessionário do parque de campismo do que aos seus cidadãos…

  2. José Ricardo S Pires says:

    Uma atitude parola do Sr Presidente da Câmara. Seguindo o raciocínio que apregoa não poderão ser concedidos alvarás a estabelecimentos comerciais idênticos se tiverem uma localização próxima. Um parque de campismo não substitui uma AAA – área de acolhimento para autocaravanas. O primeiro destina-se a uma estadia prolongada, o segundo serve para uma estadia mais curta, na órdem de até 72 horas. Também quem se instala num parque de campismo procura, em geral, repousar e normalmente sai pouco do parque. Os autocaravanistas que ficam numa área de acolhimento procuram visitar a cidade e frequentam a restauração e o restante comércio, deixando o seu dinheiro e levando para as suas terras publicidade turística que é gratuita para o erário público. Os autocaravanistas pagam a Coimbra de forma indirecta através do consumo que fazem. Melhor seria se o Sr Presidente criasse condições condignas para receber o autocaravanismo nomeadamente construindo uma área de serviço para a manutenção periódica das autocaravanas. Se oferecer condições o estacionamento na AAA não terá de ser gratuito mas deverá ser oferecido nas mesmas condições de custo/duração das restantes viaturas que lá estacionem. Com esta discriminação negativa vai afastar o autocaravanismo da cidade

    • Luis Neves says:

      Tem toda a razão amigo dar mínimo de condições e até cobrar alguma coisa mas é como o sr. diz para o parque que até fica fora do contexto da cidade poucos vão ali vão para visitar a cidade e normalmente os parques cobram e bem depois admiram-se de não terem ninguém

  3. José Ricardo S Pires says:

    O Sr Dr. Manuel Machado que é também Presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), não deveria levar este espírito para dentro desta Associação. O autocaravanismo, com mais de 3 milhões de viaturas em circulação no espaço europeu é responsável, em cada ano, por mais de 2,5 milhões de dormidas no continente português. Envolve, na sua prática, uma elevada percentagem de séniores, naturalmente mais disponíveis. É uma realidade incontornável, reconhecida pelo Parlamento Europeu que publicou uma resolução onde refere este segmento do mercado turístico conhecido por turismo itinerante. (ver § 30 de http://www.europarl.europa.eu/sides/getDoc.do?pub…. Porque se desenvolve em todas as épocas turísticas, pode ser um factor de dinamização das regiões mais interiores. Para isso é importante criar no país uma rede estruturada de áreas de acolhimento para autocaravanas, incluindo áreas de serviço para autocaravanas (ASA) que não poderão ignorar os pontos turísticos, os monumentos nacionais e, necessariamente, a região costeira. Com apoio naquela rede é importante criar roteiros turísticos, nas suas diversas vertentes (gastronómica, natureza, cultural, saúde, etc.) que “convidem” e “encaminhem” os autocaravanistas, rentabilizando este turismo.
    A Associação Nacional de Municípios Portugueses desempenha, neste projecto talvez o papel mais importante e deveria assumir a sua liderança com a o apoio conhecedor das instituições autocaravanistas, nomeadamente, da Federação Portuguesa de Autocaravanismo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.