Pontão da Ereira reaberto ao público sem provas de relação com o surto de gastroenterite

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

A Câmara de Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, anunciou ontem a inexistência de uma relação direta entre as águas do Pontão da Ereira e os casos de diarreias e vómitos registados recentemente no Baixo Mondego.
Por esse motivo, a Câmara liderada por Emílio Torrão reabriu o espaço balnear, que estava encerrado desde sexta-feira, na sequência de “algumas ocorrências de mau estar em inúmeras crianças, jovens e adultos”. A 29 de junho, Emílio Torrão disse que foram reportados dezenas de casos de vómitos e diarreias na região do Baixo Mondego, sendo as causas ainda desconhecidas.
Emílio Torrão afirmou então que a autarquia alertou as autoridades de saúde para a situação, tendo identificado “mais de 50 casos” de crianças, jovens e de adultos com vómitos e diarreias na quinta e na sexta-feira, a maioria dos quais esteve no chamado Pontão da Ereira, uma zona balnear existente junto ao rio Mondego, interditada nessa altura preventivamente pela Câmara .
No mesmo dia, contactada pela Lusa, a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) confirmou que a Unidade de Saúde Pública (USP) do Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego “tem estado a acompanhar a situação” desde a tarde de sexta-feira, após alerta da autarquia de Montemor-o-Velho, mas apenas confirmou os casos de cinco crianças assistidas na urgência do Hospital Distrital da Figueira da Foz “com sintomas de náuseas e dores abdominais”.
Na segunda-feira, a ARSC disse ainda desconhecer a razão do surto de gastroenterite aguda numa colónia de férias de Montemor-o-Velho. ARSC diz ainda que, “desde essa data, foram observados mais um adulto, uma criança e uma jovem no serviço de atendimento do Centro de Saúde de Montemor-o-Velho e no serviço de urgência do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra”.

Notícia completa na edição impressa de hoje

2 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    Se existissem cagalhões a flutuar nas águas do Mondego na zona do pontão da Ereira, o querido líder faria (mergulharia nessa águas) como o actual Presidente da República (aka Célinho) nos tempos em que este era proto-candidato / candidato à Presidência da Câmara Municipal de Lisboa -)

    • Iōanna Nikolaïdes says:

      Sr. Zé da Gândara,

      Continue com a excelente exemplificação de concretude. Que mais poderia ser tão concreto do que um real cagalhão seu, a agitar a apatia do seu burgo?
      Continue com os seus muitos troços fecais aqui pelo Diário As Beiras. O Sr. e as suas boutades excrementícias são muito necessárias no rectângulo estirado da comentação.
      Devolvo-lhe a predominância na lateral direita, e em apreço pela sua actividade agitadora, dedico-lhe o final da Maratona da Paz, disputada em 2017, em Košice, na Eslováquia, cuja vitória péan, merecida pela espontaneidade e resiliência ao escrutínio social, não é a do primeiro, mas a do décimo classificado: A vitória autêntica de um José, tal como o Sr. Gândara.
      Para si, o Sr. Jozef Urban (certamente, de URBANIDADE), em estado de pleno sacrifício gentílico Mundial-Global, pela Paz!


      Felicidades e até mais ver, Sr. Zé da Gândara. Num outro domínio virtual qualquer. 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.