Pichagens na Alta põem em risco classificação da UNESCO

A diretora regional da Cultura do Centro afirmou ontem que Coimbra pode perder a classificação como Património Mundial, por causa das pichagens que afetam monumentos e grande parte da zona classificada pela UNESCO.

A agência Lusa noticiou que as pichagens na Alta já afetam a zona exterior do criptopórtico romano, a Sé Velha e a Igreja de São Salvador, do século XII, estando presentes em toda a zona do Centro Histórico da cidade, quer em monumentos como o Museu Nacional Machado de Castro quer nas fachadas de casas particulares.

“De todas as capitais de distrito [da região Centro], Coimbra está a ser vandalizada a um ritmo impressionante, desde os monumentos nacionais – coisa que antes não era feita – até todo o espaço classificado como Património Mundial pela UNESCO”, alertou hoje a diretora regional da Cultura do Centro, Celeste Amaro, que abordou o tema no discurso de apresentação do novo portal Cultura Centro.

Segundo a responsável, “quem vier renovar a classificação [da UNESCO] vai ficar desolado e podemos, até, perder a classificação”.

“Isto não pode acontecer. Coimbra tem que dar um exemplo a todos e peço a ajuda de todos”, frisou Celeste Amaro, considerando que a preocupação com as pichagens na zona histórica da cidade é “constante”.

2 Comments

  1. Se houvesse menos corrupção na câmara e os arquitectos da mesma tivessem o mínimo de qualidade, também era capaz de não ser pior…

  2. Sócio AAC says:

    Uma autêntica vergonha, os responsáveis por estes atos devem ser punidos exemplarmente !

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.