Apreendidos 384 foguetes sem licença em Gondelim

 

O Departamento de Armas e Explosivos da PSP apreendeu 384 artigos pirotécnicos que se encontravam depositados perto do cemitério de Gondelim, Penacova, e que se destinavam a ser utilizados durante as festas em honra de Nossa Senhora da Moita. Na sequência da explosão, que fez uma vítima mortal e feriu 30 pessoas, os elementos da PSP acabaram por encontrar mais material pirotécnico que não estava devidamente licenciado, informou, ontem, a polícia, em comunicado.
Os produtos foram encontrados num anexo do cemitério local a 250 metros do sítio onde ocorreu a explosão, quando a polícia, apoiada por elementos do Núcleo de Armas e Explosivos do Comando Distrital da PSP de Coimbra, estava realizar as diligências periciais, com vista a determinar as causas do acidente.
A Pyrocantanhede – Fogos de Artificio, empresa sediada em Carvalheiros (Cantanhede), estaria responsável pelos momentos pirotécnicos do programa festivo. Durante a tarde desta quinta-feira, o DIÁRIO AS BEIRAS, tentou, sem sucesso, contactar os responsáveis da marca.
A vítima mortal, André Baptista, de 25 anos, estaria, tudo aponta, ao serviço da empresa de Cantanhede. O jovem era também funcionário no Hotel Vila Galé, em Coimbra, que ontem tinha uma bandeira negra colocada a meia haste.
“Face a mais um acidente trágico, a PSP reitera o apelo a todos os intervenientes do setor, desde os profissionais que vendem os produtos pirotécnicos, aos técnicos que os manuseiam e às pessoas em geral que assistem aos espetáculos, que cumpram escrupulosamente a legislação aplicável e concretamente as regras de segurança definidas”, refere o comunicado.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.