A educação (ou a falta dela) na formação de gente consciente e livre segundo a Bonifrates

Posted by

Os mais jovens atores da Bonifrates – reunidos no coletivo Bonifrates Júnior – regressam ao palco, desta vez em “casa”, com o espetáculo “Vigésimo Oitavo”, que tem com referência o artigo (28.º) sobre a educação da Convenção sobre os Direitos da Criança. Com guião e direção de João Paulo Janicas, a peça estará em cena no Teatro Estúdio Bonifrates, na Casa Municipal da Cultura de Coimbra, este sábado, dia 3 de março, pelas 17H30, e, de novo, nos dias 9 e 16, às 21H30, e 10 e 17 de março, pelas 17H30.

Recorde-se que o espetáculo foi apresentado em estreia, numa performance final, a 8 de abril de 2017, no Colégio de S. Bento, integrado no programa da XIX Semana Cultural da Universidade de Coimbra, regressando ao palco, na Black Box do Convento São Francisco, em duas sessões esgotadas a 19 e 20 de janeiro.

Esta “adaptação” da peça ao palco do Teatro Estúdio Bonifrates é, portanto, mais uma oportunidade para quem não teve ainda a possibilidade de ver o espetáculo protagonizado por um grupo de jovens atores com idades compreendidas entre os sete e os 18 anos.

“Vigésimo Oitavo”, espetáculo com guião e direção de João Paulo Janicas, vídeos de Miguel Godinho e banda sonora de Amílcar Cardoso, chega agora ao palco da Bonifrates, “enriquecido com novas cenas teatrais, filmes e personagens”, assim como uma implantação cénica e desenho de luz específicos, da responsabilidade da Cristina Janicas e de Nuno Patinho, respetivamente.

Aludindo, no seu título, ao artigo sobre a educação da Convenção sobre os Direitos da Criança, o projeto “Vigésimo Oitavo” trata “a questão da possibilidade de formar indivíduos conscientes e livres, no mundo atual, face do abismo entre aqueles que acedem e podem aceder à educação e aqueles que crescem diminuídos pelas grilhetas de obscurantismo, da pobreza ou da tirania”, destaca a Bonifrates.

Em palco, vão estar os atores Afonso Silva (Ismael), Alexandre Matias (Holden), Beatriz Janicas (Malala), Carolina Cardoso (Zlata), Filipa Paz (Julia), João Pinto (Neill), Luísa Abreu (Jamil), Matilde Paz (Marjane), Miguel Pinto (Gaitinhas), Pedro Albuquerque (Dada), Pedro Seabra (Harry) e Tiago Henriques (Marcus). A voz off (da Borla Selecionadora) é de Rui Damasceno. A pesquisa para a peça é da responsabilidade de Bárbara Janicas.

A banda sonora de “Vigésimo Oitavo” integra músicas executadas pela Charamela da Universidade de Coimbra e extratos de temas de Emir Kusturica and The No Smoking Orchestra, Pink Floyd, Bizimkil, Cat Stevens, Lisa Gerrard, Patti Smith, Primavera nos Dentes e ainda Bob Dylan.

O projeto júnior da Bonifrates foi iniciado, em 2006, tendo como  finalidades a educação artística e a formação através do teatro. “Vigésimo Oitavo” é a sua quinta criação. O atual grupo apresentou já uma adaptação teatral do texto “Óscar e a Senhora Cor de Rosa”, de Éric-Emmanuel Schmitt.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.